• Reflexões

    Pai, tô com fome!

    Ricardinho não agüentou o cheiro bom do pão e falou: – Pai, tô com fome! O pai, Agenor, sem ter um tostão no bolso, caminhando desde muito cedo em busca de um trabalho, olha com os olhos marejados para o filho e pede mais um pouco de paciência… – Mas pai, desde ontem não comemos nada, eu tô com muita fome, pai! Envergonhado, triste e humilhado em seu coração de pai, Agenor pede para o filho aguardar na calçada enquanto entra na padaria a sua frente. Ao entrar dirige-se a um homem no balcão: – Meu senhor, me desculpe incomodá-lo. Estou com meu filho de apenas 6 anos à porta,…

  • cotidiano

    BahiAfra (poesia)

    Eu vi! Uma estrada poeirenta e sinuosa Cortando o chão quase estéril! E um povo miserável procriando Uma vida sem futuro; vi a fome. Eu vi crianças! O futuro sem presente Todas elas subnutridas e doentes Mãos vazias e suplicantes Estendidas para o alto; vi abandono. Eu vi muitos olhos sem brilho Muitos corpos esquálidos Muitas barrigas vazias Muita fé em Deus; vi inocência No caminho de volta Pensei em tudo o que vi Depois da curva na estrada Começava a cidade grande; não vi mais nada.