crônicas

  • crônicas

    País de tolos?

    Triste a verdade, a realidade e, ao mesmo, a sensação de impotência que paira sobre as nossas cabeças e que se confunde com a incompetência daqueles a quem delegamos os rumos do nosso país. Dentro de três meses, eu vou completar 64 anos de vida e isso é bom. Pelo menos, já pavimentei uma estrada bem asfaltada pelos caminhos por onde andei e se deixei alguns buracos, eu sei, é quase impossível para todos nós preenchermos alguns vazios que ficam pelas estradas da vida. Eu ainda tenho planos para a minha vida, principalmente daqui a pouco mais de seis anos, quando completarei 70. Pretendo experimentar a vida FORA do Brasil,…

  • crônicas

    Tributo à Socorro

    Sempre achei que me saia melhor escrevendo do que falando, mesmo porque, hoje, me faltam as palavras. Em novembro de 1978, vésperas de completar 19 anos de vida, conheci a Socorro. Foi admiração à primeira vista. Esposa dedicada, mãe extremada, cozinheira de mão cheia, cunhada, amiga, confidente, conselheira e dona de uma gargalhada inconfundível, que nos fazia mais felizes, mesmo que não houvessem razões para sorrir. Assim ela era, é e sempre será: a imagem que guardarei, para sempre, no meu olhar. Eu não consigo chorar, mesmo com os olhos cheios de lágrimas e o nariz que insiste em escorrer meu sentimento contido. Não sei mais a quem pedir Socorro,…

  • crônicas

    Voltei…

    Ainda que timidamente, como se estivesse reaprendendo a andar ou exercitar mentes e mãos, voltei a sentir vontade de escrever. Tenho andado distante dos textos, talvez por conta do contexto contemporâneo que enxergo vazio de ideias e cheio de intolerâncias. Muitas vezes me sinto no meio de um deserto de nadas. É tudo tão “eu”, que sinto falta do “nós”. O “eu” e a tela do celular; no café da manhã, no almoço e no jantar. Olhos vidrados na tela brilhante, sem tempo para conversar com alguém de verdade, que reaja, argumente e exerça o direito ao contraditório, sem medo de ser “bloqueado” por ter sido contrariado. A geração do…

  • crônicas

    O Pequeno Príncipe (crônica)

    A história do Pequeno Príncipe nos remete à dimensão das relações humanas. No nosso dia a dia, cativamos e somos muitas vezes cativados. Dessa forma é importante manter nossos laços afetivos com atenção e zelo ampliando os rastros de luz em nossas vidas e nas vidas de tantos quantos passarem por nós. Quem és tu? – Perguntou o principezinho. Tu és bem bonita! Sou uma raposa – Ela respondeu. Príncipe: vem brincar comigo. Estou triste. Raposa: eu não posso brincar contigo! Não me cativaram ainda. Príncipe: ah! desculpe-me. O que quer dizer “cativar”? Raposa: tu não és daqui . Que procuras? Príncipe: procuro amigos. Que quer dizer “cativar”? Raposa: é uma…

  • crônicas

    A lição do cavalo – O verdadeiro valor

    Era uma vez um jovem que recebeu do rei a tarefa de levar uma mensagem e alguns diamantes a outro rei de uma terra distante.  Recebeu também o melhor cavalo do reino para levá-lo na jornada. –Cuida do mais importante e cumprirás a missão! Disse o soberano ao se despedir. Assim, o jovem preparou o seu alforje, escondeu a mensagem na bainha da calça e colocou as pedras numa bolsa de couro amarrada à cintura, sob as vestes. Pela manhã, bem cedo, sumiu no horizonte. E não pensava sequer em falhar. Queria que todo o reino soubesse que era um nobre e valente rapaz, pronto para desposar a princesa. Aliás,…

  • crônicas

    Bahia, Bahêa ou Baêa: O que importa é ser tricolor em qualquer divisão!

    Vídeo que conta a trajetória nos últimos 7 anos do Esporte Clube Bahia, dono da MAIOR torcida do Norte-Nordeste e uma das maiores e mais fanáticas do Brasil, que caiu da primeira para a segunda e depois para a terceira divisão e em 13/11/2010 voltou a elite do futebol brasileiro ao golear a Portuguesa de Desportos por 3 a 0, no Estádio de Pituaçu, em Salvador/BA. [youtube=http://www.youtube.com/watch?v=wpugsQ2CUwM]

  • crônicas

    Politicamente correto é o escambau!

    Texto extraído do blog R2CPRESS do jornalista Roberto Rabat Chame, Ilhéus/BA. Enviado por Paulinho Paleta. O CRAVO NÃO BRIGOU COM A ROSA Chegamos ao limite da insanidade da onda do politicamente correto. Soube dia desses que as crianças, nas creches e escolas, não cantam mais O cravo brigou com a rosa. A explicação da professora do filho de um camarada foi comovente: a briga entre o cravo – o homem – e a rosa – a mulher – estimula a violência entre os casais. Na nova letra “o cravo encontrou a rosa/ debaixo de uma sacada/o cravo ficou feliz /e a rosa ficou encantada”. Que diabos é isso? O próximo…

  • crônicas

    Marcas de batom no banheiro…

    Numa escola pública estava ocorrendo uma situação inusitada: meninas de 12 anos que usavam batom, todos os dias beijavam o espelho para remover o excesso.  O diretor andava bastante aborrecido, porque o zelador tinha um trabalho enorme para limpar o espelho ao final do dia. Mas, como sempre, na tarde seguinte, lá estavam as mesmas marcas de batom… Um dia o diretor juntou o bando de meninas no banheiro e explicou pacientemente que era muito complicado limpar o espelho com todas aquelas marcas que elas faziam. Fez uma palestra de uma hora. No dia seguinte as marcas de batom no banheiro reapareceram… No outro dia, o diretor juntou o bando…

  • crônicas

    Hoje é 10 do 10 de 2010

    Na cultura chinesa, o dia 10 de outubro de 2010 (10/10/10) é conhecido como “shi quan shi mei”, ou “perfeito em todas as maneiras”. As informações são da agênciaXinhua. A simbologia da data ainda é reforçada pelo fato de a palavra “shi” também ser utilizada em referência ao número 10, o que leva muitos casais a acreditar que a convergência numérica possa abençoar a sua união. Apesar de ser o primeiro dia de folga após uma semana de festejos pelo Dia Nacional, agências governamentais em Pequim, Xangai, Shenzhen, Hangzhou e outras grandes metrópoles chinesas abriram normalmente neste domingo para dar conta da demanda crescente por registros de uniões civis. Somente…

  • crônicas

    “Eu fumava e bebia”, por Michael Douglas

    Sou um antitabagista convicto e ferrenho. Fui fumante durante 10 anos e livrei-me do vício do cigarro desde 4 de dezembro de 1986, dia consagrado a Santa Bárbara. O cigarro é uma grande desgraça que enriquece a indústria do tabaco e entristece milhões de famílias vítimas do mal que ele provoca. Vejam o exemplo do ator Michael Douglas, 66 anos, consagrado ator e filho do grande Kirk Douglas. Michael Douglas fez grandes filmes tais como Atração Fatal (1987) e Instinto Selvagem (1992) e agora luta desesperadamente pela vida contra um câncer na garganta provocado pelo cigarro e bebida. Pensem bem antes de dar a primeira baforada…