comportamento

Number One

“Todos almejam o primeiro lugar”.

Chegar na frente numa corrida, governar um país, comandar um exército, são objetivos traçados por quem um dia sonhou em ser o número um. Não há nenhum problema em querer atingir o topo, mas todos concordam que depende sempre de como, ou seja, a maneira pela qual se atingiu esse objetivo.

Contudo, nem sempre estar no topo significa ser o melhor. Para ser considerado o melhor, muitas vezes, é necessário ser validado por aqueles que foram “derrotados” e isso não é nada fácil. É uma espécie de chancela ou outorga que, ao ser obtida, blinda aquele que a recebe. Ninguém ousará contestá-la.

Também é sabido que para muitos o poder cria um vazio. Alguns sentem-se isolados, porque o poder e o fato de ser o número um atrai cobiça, inveja e rancor. O poder parece ser um fardo e quando se atinge o topo passa-se a ser o alvo, ou seja, aquele que todos querem superar. O que antes parecia ser um objetivo, agora parece ser um problema. Quem atingiu o topo, além de ser questionado pela posição que ocupa, precisa fazer de tudo para permanecer em primeiro lugar. Ser o segundo já não parece ser uma posição importante. Não é fácil ser um número um.

O mundo moderno é cada vez mais competitivo. Estimula-se como nunca e valoriza-se por demais estar em evidência, sob os holofotes, como uma celebridade, mesmo que instantânea.

É triste ver que as pessoas almejam tanto ter e muito pouco apenas ser. Sim, é isso mesmo. Ser alguém que se preocupa com o seu semelhante; que doa um pouco do que tem a quem nada tem, que dedica um tempo da sua vida ensinando a quem não sabe ler e escrever; que leva um pouco de amor, carinho e atenção a quem se encontra em asilos, orfanatos ou hospitais.

Todas essas pessoas, as quais me referi, querem apenas ser alguém que faz algo por quem nunca estará em primeiro lugar. O que elas fazem é muito simples: tentam retirar seus iguais do último lugar do ranking da vida.

6 Comentários

  • Principe Encantado

    Nem sempre podemos escolher o caminho
    Para trilharmos.
    Mas podemos escolher como vencermos
    Os obstáculos.
    O mais importante da caminhada não é chegar em primeiro lugar
    Mas chegar com a certeza que deu tudo de si e venceu.
    Vencer muitas das vezes não nos dá o prazer de obter um premio
    Mas dá-nos o prazer de ter competido com garra .

    Ler mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=80974#ixzz0kastDXTv

    Abraços forte

  • Sissym

    Interessante: as pessoas almejam tanto ter e muito pouco apenas ser.
    Eu me preocupo em ser, se por causa disso vou ter, então o que possuir será bom, fruto daquilo que plantei.

  • charlesnetto

    Parabéns pelo post e pelo pódio tão bem ilustrado, e pela ótima finalização da matéria, mas penso que na vida de cada um, mesmo consciente ou inconscientemente sabem que de qualquer forma estão exercendo o primeiro lugar, cada um particularmente, em um lugar específico seu sendo até mesmo no particular ou ainda no individual, mas algumas situções mudam quando tem que sair de sua zona de conforto e tem que encarar o mundo real ai é que a coisa pode vim a ser um pouco complicada, que poderá alguns arrumarem diversas desculpas para se justificarem por que preferem ficar em seu estado natural de inércia e não se movimentarem, pois na física há uma lei bem simples que diz se houver trabalho (movimento pode ser de algum lugar a outro) haverá atrito, por isso pode se enaterder muitos fatores ou mesmo fatos que poderão ocorrer no coletivo quando tem que se expor e assim por diante geram muitos desencontros até mesmo de idéias devido cada um por ser um ser único pensar diferentemente de seu semelhante ou igual. Mas para mim só importa o chegar em primeiro mesmo independemente dos prós ou contras eu busco a excelência mesmo que pode acontecer algum desgaste pelo caminho e a há alguém que poderá dizer os fins justificam os meios o que não concordo muito mas faço uma reflexão a respeito de tudo, devido buscar sempre ser o primeiro não importando o tempo que isto vai levar mas vou chegar lá em qualquer Ranking em que eu estiver particiapando ativamente, ok.

  • Luísa

    Sem dúvida que o ter domina a nossa sociedade, ser é um conceito esquecido pela grande maioria. E o poder é condição necessária para ter ainda mais. Curioso o cartoon que mostras. É que o “dragão” que está em primeiro lugar é o mais corrupto dos clubes de futebol portugueses (os seus dirigentes têm “n” processos em tribunal)! Não sei se foi por acaso ou propositado esta ilustração, mas cabe no teu texto como uma luva! rs

    Então, também poderemos dizer que quem chega ao primeiro lugar (claro que há excepções) atropela muitas leis e ainda mais os seus semelhantes.

    Grande abraço
    Luísa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.