poesias

Os urubus

Majestosos.

Tão imponentes, quão repugnantes

Ambíguos


Elegantes a planar; voo perfeito

Itinerantes a vagar, trôpegos e bêbedos

Agourentos e preguiçosos, não vão à caça:

A esperam, inertes.


Sempre em bandos; silenciosos

Conto-os, vários

O fedor os denuncia:

Não aquele que exala, antes o que respira

Urubus da vida

Homens-urubus.

6 Comentários

  • Jackie Freitas

    Meu querido amigo (agora posso pronunciar AMIGO…rs)
    Conforme conversamos, você observa que mesmo tendo sido escrito há anos, o tema ainda é atual…Nunca sairá da moda, infelizmente…
    Eu, hoje, me vejo como a carniça…rs…entende? Mas não alimento os urubús da vida, mantenho em meu canto escondido o pouco que ainda me resta de carne e vida, preservando a minha espécie, como uma vigilante incansável, um sentinela insone…
    Não podemos descansar, amigo, pois o período de caça nunca acaba!
    Grande beijo e aproveito para expressar publicamente a minha satisfação e honra por tê-lo conhecido um pouco melhor. Quero que saiba que eu e Sinval estamos felizes por ter aqui em Curitiba um amigo como você!
    Jackie

  • Francisco

    Nunca pensei que alguém pudesse
    encontrar inspiração em urubus .
    Mas vejo que a natureza é sábia e o homem
    também pode ser .
    Hoje o que vemos no dihitt são urubus caçando e
    sendo caçados . É a famosa caça e caçador .

    Quem será o próximo urubu ,
    quem será a próxima carniça ?

    abs

    Francisco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.